Pesquisar

Links

 

 

 

 

 

 

  

  

 

 

   

 

Panorama: estatísticas das bibliotecas

 

Localização

 

Av. Pasteur 250, sl. 106, Urca, Rio de Janeiro (RJ). Cep.: 22290-902

Tel.: 55+21.2295.1397 

 

 

No dia 18/9, haverá treinamento promovido pela Biblioteca do Campus Macaé pra a comunidade da UFRJ interessada nas Bases ScienceDirect e Scopus (Portal CAPES). Não é necessária inscrição prévia.

 

 

 

 

 

 

 

 

Saiu no Portal UFRJ uma matéria sobre o Pantheon, nosso repositório institucional. A função do Pantehon é coletar, preservar e divulgar a produção acadêmica digital da comunidade da UFRJ. Ele se constitui, basicamente, de teses e dissertações da UFRJ, artigos científicos, livros eletrônicos, capítulos de livros e trabalhos apresentados em eventos por professores, pesquisadores, funcionários administrativos e alunos de mestrado e doutorado. Desde o ano passado em vigor, ele tem sido continuamente alimentado de publicações, que o próprio autor pode submeter. 

Abaixo está a reprodução do artigo de responsabilidade da COORDCOM. 

 

 

Foto: Acervo CoordCOM UFRJ

 

 

Em atividade desde 2016, o Pantheon é um serviço disponibilizado para toda a comunidade acadêmica pelo Sistema de Bibliotecas e Informação da UFRJ (SiBi) em parceria com a Superintendência de Tecnologia de Informação e Comunicação (SuperTIC). O objetivo é a criação de um espaço para registro e disseminação da produção científica, cultural, artística, técnica e tecnológica da Universidade.

 

"O repositório é uma formalização do espírito universitário", afirma a coordenadora do SiBi, Paula Mello. "Todas as produções, seja da área de saúde, econômica, social ou tecnológica, são da UFRJ. E faltava um lugar para que todos pudessem dizer nós somos UFRJ, independente da área que eu venha. Somos parte desta instituição. E o que eu fiz aqui? O que eu fiz por ela? Está tudo lá no Pantheon." De relatórios técnicos a teses de doutorado, passando por trabalhos de conclusão de curso, patentes e dissertações de mestrado, todo o material produzido na UFRJ, em formato digital, poderá ser disponibilizado na íntegra e acessado remotamente. Segundo Paula Mello, uma das maiores vantagens do repositório é a capacidade de projeção dos trabalhos: "No momento em que um trabalho entra no Pantheon, o trabalho recebe um número de identificador digital, e os programas buscadores nacionais e internacionais são comunicados desse novo trabalho. Isso gera uma projeção fora da Universidade e aumenta sua visibilidade". O número de downloads dos arquivos do repositório corrobora essa afirmação. Apenas no ano de 2016, foram mais de 107 mil pedidos de downloads vindos de diversas partes do mundo.

 

A maior exposição dos trabalhos e a filosofia de acesso livre não significam uma fragilidade na segurança de autoria das produções. O sistema utilizado no Pantheon cria uma identificação unívoca entre cada objeto com seus dados básicos e sua origem, na internet. "Tudo que está no Pantheon é recuperável. Colocando parte do texto, é possível encontrar todo o trabalho. Além disso, o número da identificação guarda a data de entrada do documento. Isso garante a autoridade", afirma Samantha Pontes, do Departamento de Desenvolvimento de Bibliotecas do SiBi. "Todo conteúdo está no domínio da UFRJ, o que garante a chancela da instituição."

 

Os trabalhos disponibilizados por autores ou orientadores devem cumprir alguns critérios: ser uma produção realizada no âmbito da UFRJ, estar em formato digital e ter acesso aberto, ou seja, não apresentar qualquer embaraço com direitos de publicação. Acesse o site do Pantheon para publicar ou consultar material acadêmico da UFRJ.

 

 

Fonte: Portal UFRJ

 

 

 

 

 

A partir de amanhã, dia 1 de agosto, a editora Emerald irá disponibilizar acesso gratuito aos ebooks nas áreas de Negócios, Gestão e Economia, Ciências Sociais e Transporte para avaliação dos professores, alunos e bibliotecários da UFRJ.  Mais informações no cartaz: 

 

 

Lembramos que para utilizar esse acesso, os usuários devem utilizar a rede da UFRJ e acessar os ebooks do site da Emerald Insight.  

Para utilizar a rede da UFRJ basta estar conectado à Intranet ou utilzar um dos computadores da universidade. 

 

O período de acesso vai até  dia 31 de agosto.

 

 

 

A biblioteca do Núcleo de Computação Eletrônica - NCE oferece nos dias 23/08/2017 e 30/08/2017, respectivamente, o treinamento de uso do catálogo Base Minerva e de normalização de trabalhos acadêmicos. 

Os eventos são abertos a todos os estudantes de graduação e pós-graduação da UFRJ.  

 

 

 

As inscrições podem ser feitas na biblioteca do NCE. 

 

Serviço:

- Treinamento de acesso à Base Minerva
Dia 23.08.2017
Horário: 13h às 15h
Local: Laboratório do Futuro I
Público Alvo: Alunos de graduação e pós-graduação

 

- Minicurso de Normalização de Trabalhos Acadêmicos
Dia: 30.08.2017
Horário: 14h às 16h
Local: NCE
Público Alvo: Alunos de graduação e pós-graduação

 

 

 

 

Com a crescente integração da UFRJ e de suas bibliotecas às pautas relacionadas a promoção de Acessibilidade, divulgamos a notícia de Ana Carolina Correia (COORDCOM - UFRJ) veiculada no Portal UFRJ sobre o lançamento do Xulia, o software de reconhecimento de voz desenvolvido pelo NCE - UFRJ em parceria com o Instituto Novo Ser. No fim da notícia, há um link para o download do programa.

 

 

NCE sedia lançamento de software de reconhecimento de voz

 

 
Imagem: Divulgação NCE/UFRJ

 

O Instituto Tércio Pacitti de Aplicações e Pesquisas Computacionais (NCE/UFRJ) sediou na segunda-feira (10/7) o lançamento do software para portadores de deficiência motora Xulia, lançado por meio de parceria entre o Instituto Novo Ser e o programador Antonio Losada González, da Universidade de Santiago de Compostela, na Espanha. O programa é o primeiro do tipo a reconhecer todos os comandos de texto no idioma português utilizando o reconhecimento de voz do Google.

Baseado no software Motrix, desenvolvido há 13 anos por José Antônio Borges, professor do NCE, o Xulia atualiza as principais funções de seu antecessor. O maior diferencial desse novo programa é permitir, diferentemente do Motrix, que o usuário dite textos completos em português em vez de ter de soletrar cada palavra.

Segundo Ricardo González, um dos idealizadores do software e usuário ativo dele, o Xulia é capaz de reconhecer mais de 140 comandos utilizados normalmente em ambiente Windows e permite uma maior autonomia no uso do computador. “O Xulia aumenta a produtividade de quem não pode utilizar as mãos, permitindo o uso de diversos comandos. O programa é facilmente customizável para atender a demanda de casa usuário”, explicou.

Já Borges lembrou da importância do Motrix, desenvolvido na UFRJ, para a inclusão de portadores de deficiência motora no uso de computadores e ressaltou que o NCE trabalhará nos testes e futuros ajustes no Xulia. “Nosso papel como Universidade é de abrir fronteiras e divulgar iniciativas como essa”, afirmou.

O Instituto Novo Ser disponibiliza o download gratuito do programa, além de suporte para sua instalação e uso. Para saber mais sobre o programa, clique aqui.

 

Fonte: Portal UFRJ

 

 

UFRJ Sibi - UFRJ
Desenvolvido por: TIC/UFRJ